Diários de um Transão #8 – Na ponta da língua – um guia rápido de sexo oral para mulheres

17 de junho de 2012 // By: // 50 Comments

 

Olá!

Hoje continuamos com o tema da última coluna, que tratou da real utilidade da boca, desta vez direcionado às nobres leitoras, que irão aprofundar-se na diplomática arte de abocanhar o pênis de insaciáveis senhores. Além disso, esta publicação traz respostas às perguntas de leitores na última edição. E para os cavalheiros que se deleitam nesta leitura, e cujas respectivas poderiam aprimorar-se na magnífica arte de chupar seu pau, aproveite esta oportunidade para enviar o link da coluna e em tom de brincadeira (”Olha amor, mas que rapaz inventivo”), sugerir que ela deve aprender a melhor engolir seu arpão de fertilidade. Mas, acima de tudo, esta semana levem consigo essa informação: Um cavalheiro sempre sabe que é boa etiqueta abocanhar uma vagina. E uma dama nunca cospe.

O treino leva à perfeição.

Agora, antes de seguirmos às incontestáveis pérolas buco-genitais, respondo à dúvida do precoce leitor Gabriel e inicio aqui uma nova seção dentro dos Diários: ”Transão Responde’‘.

Transão Responde

 

A dúvida do Gabriel é sobre o problema da ejaculação prematura, e remete (ou, pelo que explicou, não houve tempo para remeter) ao que deveria ter sido uma noite de prolongado sexo selvagem com uma jovem asiática, mas que resumiu-se a céleres e constrangedores 4 segundos de ação, nos quais está incluso o ato de se despir.

Gabriel, não sou familiarizado com o cenário em questão, mas minhas comunicativas barregãs dizem que, infelizmente, isto é algo comum. Bem, tenho certeza de que você, na noite em questão, já havia desempenhado a tática de masturbação incessante durante todo o dia, para chegar ‘vazio’ para o encontro (arrisco-me a dizer que este é de fato um ritual diário para você).

Então, além da gloriosa paçoquinha do amor, mencionada pelo leitor BizarroBR, eu aconselho que você se treine durantes suas sessões masturbatórias, focando em se conter e em terminar o mais tardiamente possível.

Outra dica é que você malhe o esfíncter frequentemente pois ,sem dúvidas, você é um rapaz saudável e bastante porrudo e tem dificuldades de conter os baldes de masculinidade contidos em suas genitais. E pode ajudar – pois tudo isso não passa de uma situação psicológica – se você imaginar que é um profissional pornô, fazendo um trabalho bem feito.

Gel e camisinhas retardantes também podem lhe auxiliar a se manter bombando e viril dentro da fêmea (com o bônus de deixar sua parceira incompreensível, com a boca anestesiada, caso ela tente lhe chupar neste estado).

E, se nada dito der certo, imprima e cole esta foto da sua irmã na parede sobre a sua cama e convide a oriental para uma segunda chance em seu aposento:

”Vou te levar à loucura com meu umbigo”

Voltando ao tema de sexo oral

Senhoritas, vocês devem saber que uma ótima fonte de conselhos a respeito do assunto está agora sentada na frente da TV, amaldiçoando a personagem maldosa da novela, enquanto não consegue segurar suas flatulências e culpa o gato. Isto mesmo, a sua avó provavelmente é uma verdadeira connaisseuse dos poderes que um bem aplicado boquete tem sobre os homens. O seu avô não é um tolo e certamente ele não casaria com uma dama que não soubesse como primorosamente chupar seu respeitável pênis.

 

A felação é um estado de espírito.

Aqui estão algumas dicas de como degustar com maestria seu homem:

  • Segure com firmeza os valorosos centímetros do rapaz. Nada de mãozinha de peixe morto. Ele já fodeu animais mortos o suficiente durante a puberdade;
  • Idolatre o membro em toda a sua glória peniana (Ok, pelo menos não faça parecer que é uma obrigação – finja que você não consegue engolir a todos os 7,2 cm e faça sons de engasgo vez por outra, isso deve servir);
  • Quando abocanhando seu parceiro, não seja gentil demais, tenha gosto no empenho. Para não cansar, intercale sessões orais e manuais. Como passatempo, você pode se imaginar num joguinho perverso de bem-me-quer mal-me-quer, em que você não sabe se ele vai terminar dentro da sua boca enquanto você está chupa (bem-me-quer) ou dentro do seu olho e no seu cabelo enquanto você o masturba (mal-me-quer);
  • Esta dica vai para a leitora “Char”: Acaricie as bolas. Mas quando digo isso, refiro-me a possivelmente fazer uma conchinha com a mão, lambê-las e até chupá-las muito gentilmente. Porém, você não deve morder ou imitar um aspirador de pó, cujo objetivo é arrancar perfurar o saco escrotal e engolir um testículo. Evite ao máximo separar os gêmeos;

Não!

  • Ao olhar para ele enquanto o chupa, as alternativas aceitáveis para o olhar que você pode fazer são:
  1. Olhar de Vadia – Você é devassa e sabe disso.
  2. Cachorrinha pidona – nada como a submissão.
  3. Esta cara:
  • Brincar com a língua na glande, lamber o pau da base até a ponta e outras estripulias são bem legais, mas lembre-se de sempre deixá-lo ver o que você está fazendo. Quando possível, peça para ele segurar o seu cabelo, ou amarre-o para trás;
  • Para um sabor mais agradável, troque a dieta de hambúrguer e pizza dele por abacaxis. Contudo, durante o ato, ofereça-lhe um pastel;

Pode ser um sanduba também, mas você perde pontos.

 

  • E, por fim. Aprecie uma boa ejaculação. Quando ele tiver atingido o êxtase e o resultado disto ainda estiver deslizando pela sua garganta, evite limpar sua língua na dele. Peça um refrigerante pelo serviço bem feito.

 

Foi bom pra você?