Divã do Sicko: Não sei lidar com o fim da minha relação

Sicko,

Meu nome é Rafaela, tenho 28 anos e há 2 anos me envolvi com um homem casado. Nunca quis isso pra mim e sempre fui crítica das amigas que faziam isso (coisa de piranha, eu sempre dizia), mas aconteceu … acho que realmente nos apaixonamos e ele sempre dizia que queria largar ela pro mim. Mas eu ficava com medo e sempre recusava. Tinha medo da responsabilidade de terminar um casamento e depois não dar certo, eu acho. O lance é que depois de tanto tempo eu decidi assumir nossa relação e ele não quis mais.

 

Fiquei arrasada e sinto que perdi nossa chance e, pra piorar, fiquei com um amigo dele em uma festa … não sei o que fazer e não sei se ele faz isso por vingança. ele nem fala mais comigo. me ajuda!

 

Cara Rafaela,

 

Primeiro esclareçamos o seguinte: piranha é aquele peixe carnívoro que gerou um dos vídeos mais tristes da internet (PRO TIP: não pesquisar por: piranha criança teninhos). Você é um ser humano, e como tal, seus sentimentos não obedecem a normas sociais.

Sobre seu caso, é uma das clássicas situações em que a gente vê o trem da merda despontando distante lá do alto da MONTANHA DA PERDIÇÃO, sem freio e guiado pelo capeta, e mesmo assim acha que vai escapar. É nosso ego, nossa síndrome de COMIGO VAI SER DIFERENTE que faz a gente ignorar aquele coro de neurônios sábios que tamborilam em nossa cabeça.

 

 

Se envolver com uma pessoa casada é como entrar em um barco afundando esperando que ele vire submarino.  Quando analisamos logicamente pensamos “é claro”, mas na prática todos nós embarcamos em nossos barcos furados. E por quê?

 

Porque em se tratando de amor, somos macacos operando foguetes.

 

Vou desviar quando tiver bem pertinho de dar merda

 

Temos a falsa impressão de estarmos sob controle, mas na verdade só estamos apertando botões coloridos sem saber o que fazem (ou se fazem algo). Relações são como uma dança entre duas pessoas que nunca dançaram e é quase inevitável que pés não sejam pisados.

 

Além do seu falso senso de controle, seu outro erro foi esperar que sua relação permanecesse congelada como o Super-Homem em Master Race!

 

VEJA as lágrimas dele de quem quer se separar para ficar com você!

 

A verdade é que fazer malabares com sentimentos sempre acaba de maneira desagradável. A sensação de estabilidade é SEMPRE falsa, mesmo em se tratando de relacionamentos longos. O tempo todo há forças puxando para lados opostos (tédio, desinteresse, falta de tesão, outras pessoas, decepção) e uma hora ou outra alguém pode acabar de bunda no chão (ou de cara, e terminar com um TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO DO AMOR). No seu caso, em específico, era ainda pior, porque uma das partes CLARAMENTE não queria brincar de circo.

 

Fica aí casado e infeliz, tá bom aqui só te paquerando!

 

Sobre você ter ficado com o amigo do cara, pode ter sido um erro estratégico se você esperava alguma chance de ficarem juntos, mas em tese ele não queria nada com você, né? Bem feito pra ele.

 

Por fim, a verdade é que não tenho como te ajudar. E falo como quem teve que lidar com uma sensação de perda amorosa pela primeira vez em anos. São até curiosas as semelhâncias entre nossos casos. Também estava saindo com um homem casado e lindo me envolvi com uma pessoa muito improvável, resisti a um amor que eu obviamente estava sentindo, também fugi de uma relação e também esperei que ela ficasse naquele estado de indeterminação tão confortável para quem não consegue se decidir. Quando aceitei que a gente poderia ser felizes juntos, foi tarde demais.

Assim como você, tudo desandou e, pior que você, se enterrou quando eu fiz de fato uma tremenda de uma cagada.

 

No fim das contas, é preciso aceitar que as coisas acabam, que as pessoas erram, que A GENTE ERRA e que não há fórmula para lidar com a perda. Cada um lida com a perda de uma maneira diferente (eu por exemplo vou para academia levantar peso em quantidades não recomendadas e sou acometido por um desejo incontrolável de construir coisas).

Cada um também lida de maneira diferente com o perdão. Pode ser mesmo que ele se ressinta do fato de você ter resistido a ele por tanto tempo. Ou por você ter ficado com o amigo dele. Não cabe a você decidir o que ele deve perdoar, infelizmente. Cada um opera com seu nível particular de mágoa.

 

Acredite, sei como é a sensação de querer reparar as coisas sem poder.

 

 

O que posso te dar de conselho é: aceite que as coisas acabam. Aceite que pessoas, embora únicas, não são exclusivas. O mundo está cheio de gente interessante que vai esbarrar por você e reiniciar esse jogo doentio todo de novo.

 

E, principalmente, PERSPECTIVA.

 

Hoje esse relacionamento é esse balde que te aprisiona. Amanhã você usará esse balde para recolher as lágrimas de seus inimigos

 

Como o tempo você aprenderá a apreciar o que vocês tiveram, aprenderá a até sentir gratidão, ou saudade, mas sem sofrer.  Isso na melhor das hipóteses. Na pior, verá que foi um relacionamento bobo que não te acrescentou nada.

 

O bom da vida são esses tropeços que a gente dá, alguns para o bem, outros para o mal, mas sempre impedindo que a gente siga um caminho reto e enfadonho.

 

Sinto pelo seu caso, mas você vai ficar bem 🙂

 

 

Esse post só foi possível graças aos nossos patronos

Esse post só foi possível graças a leitores que estão patrocinando o LOL! Com ao menos 1 dólar por mês, você também pode ajudar a garantir que mais conteúdo como esse seja criado.

 

Se você curtiu e quer ver mais coisas assim, considere virar patrono do LOL você também :)

 

 

Tem uma dúvida para o Divã?

Quer ter alguma coisa respondida aqui? Me escreva contando seu dilema.

 

loading...