25 comentários

  • Feio pra caralho,mas faz um bem danado.

  • interessante, porém maluco!

  • Isso não se faz mais…

  • Saci ou curupira, eis a questão…

  • não tem uma parada de colar um membro perdido em alguma parte do corpo para ele não morrer, e depois por na certa? não que faça algum sentido ai, mas tem né?

    • Na realidade, essa técnica faz com que a articulação do TORNOZELO substitua a do JOELHO, "melhorando" a performance da prótese, mas, não conseguiram criar nenhuma prótese confortável o suficiente… então abandonaram esse método de processo para o câncer avançado no joelho….

      • Na verdade o cara acabou de pesquisar no google, caiu no site do curioso e bizarro e veio aqui fingir que é gostosão ! Pega na minha estrovenga vai !

  • maluco, porém interessante!

  • Eu comia do mesmo jeito…

    Devo estar doente…

  • 1/2 curupira

  • A medicina é muito doida.

  • Sem dúvida, um dos procedimentos cirúrgicos mais estanhos e curiosos que pude tomar conhecimento foi a Cirurgia de Van Ness ou Rotação de Van Ness. Essa cirurgia era indicada para pacientes que apresentavam câncer no joelho ou infecções generalizadas e necessitavam de uma amputação na área, porém ainda possuíam a articulação do tornozelo e do pé em perfeito estado.

    O procedimento ocorria da seguinte forma: O médico ortopedista removia o tumor ou tecidos e ossos infectados do joelho, juntamente com toda a sua parte afetada e áreas próximas para que o câncer ou a infecção não pudesse se alastrar. Feito isso, o médico reimplantava o tornozelo rotado em 180 graus no fêmur do paciente, deixando a articulação do tornozelo no mesmo lugar onde antes ficava a articulação do joelho. Segundo os médicos, esse procedimento daria ao paciente um melhor controle dos movimentos de sua prótese.

    A rotação de Van Ness deixava nos pacientes um aspecto bizarro de “curupira manco”, sem falar na dificuldade que os pacientes tinham em encontrar uma prótese que deixasse o seu pé confortável dentro dela e ter uma vida normal, dormindo e vivendo com um tornozelo no lugar do joelho. Hoje em dia com a modernização das próteses e dos procedimentos cirúrgicos, este tipo de amputação não é mais realizado, garantindo assim uma melhora na estética e na vida dos pacientes que sofrem de câncer no joelho.

  • daora

Deixe uma resposta