Chega um dia na vida de todo homem em que ele deve decidir que chegou a hora de crescer e mergulhar no formidável mundo da literatura russa.

Por obra de alguma confluência de fatores (talvez vodca, frio e borsh) a Rússia produziu o maior conjunto de escritores da história. São homens com total domínio da forma (o que Dostoiévski escreveu em meados do século XIX poderia facilmente se passar por um texto contemporâneo) e profunda compreensão da alma humana (Tolstoi chegou a ter uma espécie de CULTO).

Admito, entretanto, que encarar as 2536 de Guerra e Paz não é encorajador para o principiante no mundo da literatura ESLAVA.

Tenho a solução ideal pra você.

Anton Pavlovitch Tchecov (a escrita, como todo nome russo, varia de acordo com o gosto do transliterador, mas, se você quiser tirar onda com a RAPEIZE, pronuncie o nome como é dito em Moscou: tchérraf) foi um médico russo com uma grande paixão literária. Como médico fudido financeiramente não é exclusividade brasileira, Tchecov começou a publicar crônicas para ajudar nas CONTAS. O fez tão bem que terminou por se tornar o MAIOR CRONISTA RUSSO. E é justamente isso que o torna o autor perfeito para ser introduzido à literatura russa.

Tchecov escreveu, em sua maioria, contos e peças de teatro, de modo que são obras PEQUENAS. A maioria dos livros que se veem dele são coletâneas de contos. Pequenos, fáceis de ler e de digerir.

Os TEMAS de sua obra são variados (embora seja conhecido por retratar fodamente a vida rural russa) e a principal característica de sua obra é a AUSÊNCIA DE JULGAMENTO. Tchecok simplesmente descreve os fatos, conta histórias sem regurgitar ao leitor uma moral. À época foi muito criticado pela natureza descritiva de seu trabalho, mas se defendeu, corretamente, afirmando que “o papel do artista é fazer perguntas, não respondê-las”.

 

O Jardim das Cerejeiras e Tio Vânia

 

 

 Peças. Tchekov radicalizou a arte dramática ao escrever peças nas quais destrinchava os hábitos, os amores e os desejos das pessoas comuns. Foi no suntuoso palco russo que estrearam Tio Vânia, em 1899, e O Jardim das Cerejeiras, em 1904. Em ambas pode-se ver retratado o dia-a-dia de duas famílias russas que buscam um rumo frente às mudanças que se desenhavam na passagem do século XIX para o século XX.

Compre por R$9,90

 

Os contos aqui reunidos são exemplares do estilo do autor. São atmosféricos, cheios de um sentimento de sabedoria e compaixão; a caracterização psicológica dos personagens e das situações têm mais peso do que eventuais reviravoltas de enredo. Com humor, perspicácia, honestidade e, sobretudo, amor pelas pessoas, a arte de Tchekov demonstra através dos séculos o poder transcendente de sensibilizar e de, partindo de detalhes cotidianos, iluminar a vida humana.

Compre por R$9,90

 

 

Estes doze contos são coroados pela mais célebre de suas histórias curtas, “A dama do cachorrinho” (1899), na qual o autor lança um olhar singular sobre o adultério e o surgimento do amor. Pincelado com um humor melancólico, este precioso conjunto apresenta também “Anna no pescoço”, “A corista” e “Iônytch”, além de outros contos que estão entre os mais lidos da literatura ocidental.

 Compre por R$9,90

 

Nesta coletânea encontram-se reunidas 38 histórias cujo traço mais marcante é o humor. Escritos entre 1882 e 1887, estes relatos do cotidiano da Rússia pré-Revolução destrincham com palavras as misérias e injustiças que são inerentes ao convívio entre seres humanos.

 Compre por R$9,90

 

E se você quiser chegar bicando a porta (ou me presentear) pode comprar ESSA COISA LINDA!

 

Comprem, leiam e me voltem aqui para me contar o que acharam 🙂

 

De nada

Essencial biblioteca da formidabilidade – A obra de Tchekov

Categoria: DestaqueEssencial Biblioteca da Formidabilidade
15

15 comentários

  • valeu mesmo sicko. ja tinha lido alguns contos do Tchekhov e adorei. formidável de sua parte.

  • Sicko já leu todos os livros que recomendou? o.O

  • Seria legal se todos os posts para a biblioteca estivessem com a mesma Tag para facilitar o acesso.

    Se eu estiver errado, corrijam-me.

    Obrigado.

  • Acabo de ver o link no final da mensagem do Sicko, passou desapercebido antes. Peço desculpas.

  • Chega um dia na vida de todo homem em que ele deve decidir que chegou a hora de crescer e mergulhar no formidável mundo da literatura russa…
    Genial!o

    Dostoiévski é meu autor favorito desde muito antes de eu ser capaz de compreender a grandiosidade da sua obra.

  • "Os TEMAS de sua obra são variados (embora seja conhecido por retratar fodamente a vida rural russa) e a principal característica de sua obra é a AUSÊNCIA DE JULGAMENTO. Tchecok simplesmente descreve os fatos, conta histórias sem regurgitar ao leitor uma moral."

    acho que vc não entendeu nada

Deixe uma resposta