0 comentários

  • E o errado da história é o pai que deu um iPhone pra uma criança: de fato.

  • as vezes o pai so emprestou o iphone dele pra criança ficar jogando

  • Olha, acho que, a partir do momento que vc tem o seu dinheiro, vc pode gasta-lo do modo que melhor lhe convém.
    Pode comprar o que quiser e dar a quem quiser, só que, o suposto pai deveria contar também que, uma criança de 6 anos em nenhum momento estará apta a se defender de um furto.
    Resumindo, um iphone dado a uma criança de 6 anos certamente será roubado.

    • "Filhinha, fica jogando com o Iphone do papai enquanto o papai vai ao banheiro."
      True Story.

  • Eu sei que é maldade, mas eu ri. E muito!

  • Mais fácil que tirar iPhone da mão de criança.

  • ladrão é um bixo muito j]foda. verdadeiros ninjas.. a kenga nem olhou pra dentro do local nem pro que ia roubar, e na hora que entra vai em cima bem certinho. like a ninja..

  • Ladra – pensei que fosse uma mulher.

  • quando roubarem teu carro, a culpa será sua que não foi foda o suficiente pra se defender, ou culpa do seu patrão que lhe deu o dinheiro coerentemente ao seu trabalho, e então deixou você erroneamente comprar um carro, e ser assaltado. a culpa será sua, claro

  • Tem uma turma falando que quem tem dinheiro faz com ele o que quer e zás. Concordo, mas se você dá um iPhone (ou qualquer item de marca e CARO) pra uma criança, ela vai achar que a vida é fácil e é assim, ela pede e *PUFF*, aparece um iPhone pra ela.
    Já dei aula numa escola particular (de alto padrão) de ensino fundamental e é triste como as crianças lidam com dinheiro. Pra elas é uma coisa extremamente normal enquanto tem gente que passa fome ou que trabalha até o osso pra conseguir o que quer. Quando eu era criança eu não tinha celular e era uma criança feliz, hoje em dia eles tem tudo e continuam querendo mais e mais e tão ficando cada vez mais e mais mongolóides. Se você apóia uma criança de 6 anos de idade com um celular, não teve o prazer de jogar bola na rua e pular o muro da vizinha chata porque a bola caiu lá dentro.

    • É tão legal essas pessoas dando lição de moral rsrs =P
      cara pensa um pouco … você diz que as crianças das escolas particulares querem mais e mais, mas me diz qual adulto não é assim ??? Que adulto tem algo e está satisfeito?? não existe, a menos que seja um monge ou coisa do genero … você não tinha nada caro demais aos 6 anos e era feliz … Cresceu e tudo o que não tinha quer ter agora e me diz q foi melhor assim ?? seu pai te ensinou a dar valor ao dinheiro assim?? Desculpa mas não adiantou merda nenhuma… uma coisa é ensinar … mostrar pra criança o que teve que fazer para ter aquilo, dar o valor… não esta no valor ou no objeto que deu a ela…. o moleque pode ter 6 anos e dar mais valor para aquilo q tem do que vc ….

      • Tsc… você obviamente não tem filhos ou é muito novo para saber das coisas.
        Veja a deturpada sociedade amigo, é culpa da tecnologia. Uma benção se usada com sabedoria, o que acontece raramente, claro, e uma maldição para o mundo pelos bilhões que utilizam-na de forma imprópria.
        Daqui a alguns anos, não teremos petróleo, oxigênio e água serão cobrados e não poderemos sair nas ruas sem ter que utilizar mascaras de filtragem (99,998% carbono, resto oxigênio).
        Alem de tudo, meu caro, deveria notar que por mais que tudo pareça fácil, são nossas condutas que fizeram o mundo a bosta que é hoje. Porque na época que as coisas eram mais difíceis, dava-se mais valor e a vida era mais divertida, por pessoas ricas e sem criação moral nenhuma, as pessoas tornaram-se mais egoístas. Aonde eu morava, a união fazia a força. Aonde moro hoje, sou mais um numa multidão imensa em que cada um pensa apenas em si mesmo, sem enxergar o próximo. Me lembram muito aquele animal com viseiras, o cavalo, a égua… Mas sem duvidas, sois o peão do tabuleiro dos magnatas brasileiros, aqueles que riem e cagam ouro, enquanto nós nos matamos para um pedaço de merda dourado diariamente.
        Dinheiro é necessário, fat, mas deixe de dizer que dar valor ao dinheiro é ter tudo. Quem sabe dar valor, nunca tem tudo o que quer, porque sempre vê uma oportunidade melhor de viver fazendo uma ou outra coisa.
        Agora, lhe recomendo a fazer trabalhos comunitários, visto que não consegue destinar a visão egoísta do mundo ao seu subconsciente e pensar nos outros.
        Adultos devem aprender e colaborar como sociedade, ser um merdinha egoísta pode até ser legal, mas sempre tira vantagem de alguém que está sempre precisando mais. Quem cresce na merda, sabe dar valor a tudo, ao contrário que quem nasce no ouro, como aparentemente nasceu, rich boy.
        A uma criança, meu caro, não se dá nem ao menos um celular, se dá um livro e se ensina a criança a ler e escrever até que ela não tenha dificuldade nenhuma. Se ensina matemática e o ensina a conviver com a sociedade e ajudar os outros. Não se dá algo caro para uma criança para fazê-la crescer seu ego acima das outras crianças que não tem. A questão amigo, é que foi roubado, mas senão, seria perdido ou esquecido. Estamos falando de uma criança, lembrem-se.
        Agora Joker, ou cordialmente, richboy. Pegue seu egoísmo e vá se fuder, se não conseguir aprender a lição.
        Aliás, minha barba manda lembranças.

      • Falo isso porque eu convivia DIARIAMENTE com crianças e sei o que tô falando. Via da forma que elas se comportavam com seus "brinquedos high-tech". Via como os amiguinhos "mais pobres" eram alvo de zoação quando não tinham o "gadget da moda". Dar um iPhone pra uma criança só incentiva o consumismo. Se ela quer ser consumista quando adulta, problema é dela, mas formar esse tipo de "opinião" em quem não conhece NADA sobre a vida é pura estupidez. Se você algum dia tiver filho, dê um iPhone pra ele e veja-o virando um babaquinha no futuro.
        Assista isso e me diga se isso é normal: http://www.youtube.com/watch?v=dX-ND0G8PRU

        • Concordo plenamente com você e com o 'Chuck Norris' acima.
          A mente de uma criança não está apta a ser consumista, afinal, o dinheiro que ela tem não é dela, ela não teve trabalho algum em conseguir. No máximo, fez pressão psicológica ou fez carinha de triste. Logo, ela não irá dar valor algum, nem ao objeto, nem ao trabalho dos pais, e se der algum valor, vai ser pra tornar os que não possuem o objeto em questão, em um alvo para chacota.
          Quando eu era criança, só ganhava as coisas de acordo com o meu merecimento. Tinha que ir bem na escola, ajudar em casa, obedecer aos meus pais… Enfim, ser um 'exemplo' e TALVEZ ganhar um chiclete ou um chocolate. Celular eu fui ter depois dos meus quinze anos de idade, porque ganhei usado de um tio.
          Hoje, tudo que tenho, tenho como fruto do meu trabalho. Não tenho filhos, mas se um dia tiver, provavelmente vou TENTAR não transformar eles em bostinhas mimados, que erguem um dedo e recebem o que querem, apesar de a mídia que temos hoje em dia, realmente usar as crianças como bode expiatório para obter o lucro desejado e transformar o trabalho de um pai educar um filho com bases morais, em algo realmente exaustivo e pouco compensador, afinal, de que adianta um pai que tem poucas horas pra passar uma lição de vida, moral e educação para um filho que provavelmente vai passar o dobro do tempo na frente da TV, vendo propagandas que dizem que seus pais devem lhe dar aquilo que quer para poderem ser felizes?

  • Mais fácil que roubar doce de criança.Literalmente.

  • PUTA QUE O PARIL QUANTO FALSO MORALISTA!! Nem sabemos se o Iphone é de fato da criança, pode ser do pai, e se for da criança, o problema é de quem? Seu? Ah, vai tomar no cu viadinho moralista vegan de merda!
    Agora, sobre a ladra… Que morra logo pelo vicio no crack ou qualquer coisa. Ladrao de cu, é rola! e esses merdas tem que se foder! Se a pessoa se dedicou a algo, o merda n tem direito de se achar no direito de tomar!

    • "Vegan de merda" realmente é um argumento MUITO bom quando se tem menos de 30 pontos de QI.

  • quer dizer então que dar uma coisa legal para o filho é mais errado do que roubar um telefone de uma criança inocente??
    ninguém sente raiva do ladrão filho da puta que chegou td marrento e saiu se sentindo o melhor dos homens? por ter pego um telefone de um moleque e sair correndo, pra depois se vangloriar disso?
    outra coisa.. que pai não tem vontade de proporcionar ao seu filho o melhor que puder??
    não conheço vocês, nem sei a criação que tiveram, mas tenho certeza que farão tudo o que estiver ao alcance para agradar o filho.. esse papo de deixar ralar para aprender a dar valor, sinceramente.. só pais como do nível do ladrão do vídeo que pensam mais em si mesmos do que nos filhos que não se esforçam para agradar suas crianças..
    sinceramente, antes de pensar no pai que deu o Iphone para o guri, que supostamente não vai dar valor ao dinheiro do futuro, supondo que o celular fosse realmente dele; o que me parece um pouco de inveja reprendida por talvez não ter tido acesso a isso na infância, até porque na época das nossas infâncias (ou da minha pelo menos, acredito que a maioria aqui tenha entre 20 e 30 anos ) os celulares pesavam quase meio quilo e lembravam um tijolo sem furos pela metade, mas provavelmente tinham um super nintendo, ou algo do tipo, mas voltando ao assunto, antes de me revoltar com o pai da criança, a minha verdadeira vontade era de pegar aquele ladrão com seu jeito de malandro, metido a besta, e dar uma verdadeira surra, violenta, deixar vários ossos fraturados, traumatismo craniano e sangue espalhado pelo chão.
    de qualquer forma, só queria expressar minha revolta direcionada, acredito eu, contra quem realmente merece ela, o que me parece que o resto dos leitores esqueceu, talvez por terem valores deturpados pelo mundo consumista de qual tanto reclamam..
    era isso.
    Sicko, por favor aprove o comentário do cara que ficou com raiva do ladrão.

    • Na minha infância eu tive acesso a BRINQUEDOS. Minha infância COM CERTEZA foi infinitamente mais feliz que a da maioria da criançada hoje em dia.

  • Gente estúpida, a partir do momento que EU SOU ROUBADO, o errado é O LADRÃO, não importa o que eu tenha, roubar é errado, indiferente do que eu tenha OU NÃO.

  • Furto é uma figura de crime prevista nos artigos 155 do Código Penal Brasileiro, e 203º do Código Penal Português, que consiste na subtração de coisa alheia móvel para si ou para outrem, com fim de assenhoramento definitivo. Difere do roubo por ser praticado sem emprego de violência contra a pessoa ou grave ameaça.
    Sujeito ativo – qualquer pessoa(quem furta), uma vez que é crime comum – o crime que pode ser praticado por qualquer pessoa.
    Sujeito passivo – qualquer pessoa(quem é furtado). Este pode ser tanto a pessoa física, como a pessoa jurídica, pois esta tem patrimônio.
    Tipo objetivo: A ação física é a de subtrair, que significa retirar do legítimo possuidor contra a vontade deste.
    Por coisa entende-se qualquer coisa corpórea com valor econômico, independentemente de ser tangível. Podendo ser também coisa corpórea apenas de valor sentimental bastando que faça parte do patrimônio, entendimento esse do grande doutrinador Nelson Hungria.
    Liquidos e gazes podem ser objeto de furto, desde que apreendidos, encerrados numa garrafa ou num tubo, por exemplo.
    Direitos não podem ser objetos de furto, mas sim os objetos que o representam (títulos, por exemplo).
    O ser humano não é coisa, portanto não pode ser objeto de furto, muito menos o cadáver, salvo o que pertence à alguem, como os cadáveres ou parte deles usados nas faculdades para pesquisa científica.
    As coisas sem dono (res nullius), abandonadas e declaradas sem valor econômico (res derelicta) e as coisas comuns (ar, por exemplo) não podem ser objeto de furto. Entretanto o mesmo não se pode dizer das coisas perdidas ou esquecidas (no caso pode haver apropriação indébita ao invés de furto).
    Por móvel, entende-se também aquilo que pode ser mobilizado; ao contrário do direito civil, o direito penal atém-se à realidade, posto que, o imóvel, desde que mobilizado, pode ser objeto de furto. (Ex. Frutos destacados de uma árvore).
    Por alheia entende-se aquilo que não é do agente do crime. A elementar alheia, por exemplo, impede que o proprietário cometa furto contra sua propriedade em posse de terceiro (pode ocorrer no caso o crime de exercício ilegal das próprias razões).
    Tipo subjetivo: Deve ser ressaltado que a descrição típica do crime de furto exige duplo elementos subjetivos: o dolo que consiste na vontade livre e consciente de subtrair a coisa móvel e a finalidade especial contida na expressão "para si ou para outrem".
    Consumação – O crime consuma-se no momento da inversão da posse, ou seja, no momento após a arrebatação, no qual o objeto material sai da esfera de guarda e vigilância do proprietário ou possuidor e passa para a do sujeito ativo do crime. Pode ocorrer, por exemplo, quando o criminoso engole uma pedra preciosa que acabou de furtar, ou quando ele consegue fugir do local.
    Tentativa – Como crime material (tem ação e resultado) e plurissubsistente (a ação pode ser dividida em vários atos) o furto admite a forma tentada.
    No direito brasileiro, a forma tentada só é admitida no flagrante próprio (aquele em que o agente é encontrado no ato). Já no flagrante impróprio e no presumido há crime consumado.

  • Vão se foderem seus filosofos !
    hehehe

  • A propósito, ninguém aqui tá falando que o ladrão tava certo em ter roubado a criança, a discussão só tomou outro rumo e vocês não perceberam isso.

Deixe uma resposta