Como já perceberam, o Morreu Sabendo de hoje é um pouco diferente. Vocês devem estar se perguntando: Por que diabos um médico vai falar sobre tatuagens? Ou então, por que um cartunista vai falar sobre isso? Não encarem dessa forma. Os principais motivos não são meus ofícios, mas sim o fato de ser um grande apreciador dessa arte, e também porque passei muito tempo querendo fazer uma.

A escolha do desenho, o local, o impacto que isso traria à minha profissão, a escolha do tatuador, o medo de me arrepender e as diversas dúvidas que sempre tive me fizeram demorar muito para tomar a iniciativa, o que aconteceu somente aos meus 29 anos. Nesse tempo, acabei estudando e pensando muito sobre o assunto, o que fez com que eu acabasse tendo uma bagagem razoável para dar a minha opinião e algumas orientações.

O fato de ser médico é só uma qualificação a mais pra falar sobre cuidados locais, riscos e afins, e a condição de desenhista pouco influencia. De qualquer forma, esse texto expressa muito mais uma opinião pessoal do que qualquer outra coisa. Se você não confiar ou concordar com o conteúdo do post, que ele sirva pelo menos para te guiar; vá atrás de outras fontes, converse com profissionais e, principalmente, pense a respeito de todos os pontos aqui abordados.

A escolha do desenho

Dica: NÃO

O primeiro conselho que dou é que fujam dos modismos. Se você faz algo que está na moda, seja por causa de uma simples tendência, acontecimento, ou para copiar determinada celebridade, as chances de se arrepender são gigantescas. Com o passar dos anos, você verá que essa “tatuagem da moda” se tornou um completo vazio, que só servirá para te lembrar do quanto foi babaca em determinada época da sua vida, e para ser apontado como tal quando estiver andando na rua…

Se a sua escolha não se baseou em modismo, mas apenas na estética, com o tempo aquilo será apenas arte sem qualquer fundamento ou pretensão, que também aumentará as chances de um arrependimento. Não estou julgando quem tenha tais desenhos no corpo, mas antes de se decidir, pense bem se dragões, índios, símbolos indígenas, desenhos biomecânicos, tribais, águias, frases em latim ou símbolos chineses tem realmente alguma coisa a ver com você. Vale lembrar ainda que tatuar rosto ou nome de namorado(a) não é prova de amor, é atestado de idiotice.

Falando em rosto, caso resolva tatuar o de alguém, escolha o melhor tatuador que existir no país. Principalmente nesse caso, todo investimento é pouco! Tatuar a figura de um rosto é uma árdua missão, e as chances de você ter uma cagada estampada na pele aumentam muito se o tatuador não for realmente muito bom. Se o rosto for de uma celebridade, dê preferência a uma que já tenha morrido há muito tempo, e que sua relevância histórica seja indiscutível e imutável.

O perigo da economia

 

Na MINHA OPINIÃO, quando a pessoa vai fazer uma tatuagem, deve optar algo que a agrade desde sempre, que represente uma ideologia ou sentimento, que tenha uma grande influência na sua VIDA. As pessoas devem dar sentido àquilo que estão fazendo, para quando ficarem velhas e enrugadas, o desenho possa continuar tendo um valor que vai muito mais além do que a estética, moda e afins.

Conheço UM MÉDICO que desde criança é apaixonado por mitologia grega, cujo próprio nome é de origem grega, e que escolheu um Grifo como tatuagem; uma bela criatura mitológica que, além representar diversas virtudes, é uma das criaturas usadas pelos gregos como símbolo de Apolo, o Deus da medicina. Nesse contexto, a arte em si até se torna secundária, pois tem um significado que vai muito mais além do que mera decoração corporal. 😛

O tamanho, o local e o número de tatuagens

Provavelmente este não é um bom local, nem para você nem para o pobre do tatuador.

Isso é extremamente variável e vai do gosto de cada um, mas a pessoa deve ser, no mínimo, racional. Você não acharia estranho um médico com o rosto ou mãos tatuadas? Não acharia estranho seu filho tendo aula com um professor cheio de demônios tatuados pelo corpo? Mesmo que tudo seja mero preconceito, pense bem se vale a pena viver lutando contra isso… Ao estampar desenhos pelo seu corpo, você está passando uma mensagem para todos que te olham. Essa mensagem pode ter diversas interpretações e ainda servir como um rótulo, mesmo que falso, que talvez faça com que seja apontado na rua, que seja discriminado, ou que até venha a te prejudicar profissionalmente. O meu conselho é que os desenhos possam ser facilmente cobertos… Se após três meses de trabalho, em um churrasco da empresa, o seu chefe descobrir que você tem um pênis tatuado nas costas, você já terá tido tempo para mostrar seu trabalho e caráter. Agora imagine se essa tatuagem fosse na sua testa; como teria sido sua entrevista de emprego?

Outro ponto é o futuro do local a ser tatuado… Uma tatuagem nas costas, no braço ou na panturrilha, sempre será exibida sem maiores problemas. Já um desenho nas costelas, barriga ou pneuzinhos, além de poderem se enrugar e dobrar sobre si com o tempo, acabarão chamando atenção das pessoas para uma parte do seu corpo que seria melhor estar escondida ou disfarçada quando a idade chegar. Um exemplo: A pessoa nem ia reparar na sua costela muxibenta, mas olha porque nela tem o desenho de um caju. Ela te pergunta por que tatuou um caju, então você estica a pele e aparece o rosto do Jimi Hendrix! Putz…

A idade ideal

Faça sua tatuagem quando já tiver idade para achar isso feio

Isso depende muito da maturidade de cada um, mas pelo que já li sobre adolescência, comportamento e coisas do tipo, aconselho a fazê-las após os 25 anos. Por mais que os jovens achem que são os donos do mundo e da verdade, por mais que se achem capazes de tirar a carteira de motorista aos 16 anos, e por mais que julguem todos como velhos antiquados, a maior parte da pessoa que serão para o resto da vida ainda está em formação até essa idade. Se você tomar essa decisão após estar “devidamente adulto”, a satisfação com sua tatuagem com certeza será muito maior.

A escolha do tatuador

Dica: não escolha esse cara

 

Pesquise bastante antes de escolher o profissional que vai marcar sua pele. Busque indicações de pessoas que entendem do assunto, use redes sociais, pesquise no Google, enfim, procure se informar ao máximo a respeito dos tatuadores em potencial para o trabalho que deseja.

Feito isso, procure informações sobre o estabelecimento; veja se o estúdio tem licença para funcionar. A emissão dessa licença pela prefeitura inclui avaliação da vigilância sanitária, o que já é uma boa garantia quanto à higiene local. Visite o estúdio, peça para ver o processo de esterilização, pergunte sobre o uso materiais descartáveis, etc. Não tenha vergonha de ser chato.

Estando tudo em ordem até agora, dê uma boa olhada no portfólio do tatuador, para conferir trabalhos anteriores.

Converse com ele a respeito do que deseja, fale das suas expectativas e tire todas as suas dúvidas antes de contratar seu serviço.

Quando O MÉDICO que mencionei há pouco foi fazer sua tatuagem, o tatuador não aceitou o serviço e indicou uma tatuadora que era melhor nos estilo de desenho que ele queria. Lidar com bons profissionais, buscar todas as informações e dialogar é de suma importância para sua satisfação e para evitar problemas.

Muito importante: Jamais utilize o PREÇO para escolher o tatuador. É melhor que você adie a realização da tatuagem até poder pagar pelo profissional que mais te agradou. Se ele tem boas referências e se está cobrando caro, dificilmente vai te colocar em risco quanto a doenças e/ou uso de material de má qualidade.

Os riscos em potencial

O maior temor se tratando da saúde do tatuado é a transmissão de alguma doença. Aqui ressalto novamente a importância de buscar referências e informações quanto ao estabelecimento e cuidados com higiene e esterilização. Você pode contrair infecção pelo HIV, hepatites B e C, sífilis e diversas outras mazelas ao deixar de tomar a devida precaução. Muitas são doenças crônicas e incuráveis. Todo cuidado é pouco.

Fora essas doenças mais graves, más condições de higiene podem ainda comprometer o resultado final do trabalho. Infecções de pele causadas por bactérias e fungos diversos podem resultar em feridas, úlceras e cicatrizes que vão colocar por água abaixo suas expectativas de exibir sua “beleza tatuada” por aí.

Tatuagem infeccionada

Outra coisa que quase ninguém pensa antes de fazer uma tatuagem são as possíveis reações locais. O uso de tintas de má qualidade, ou o fato de você ter alguma alergia aos pigmentos das tintas diversas, pode resultar numa reação de proporções desastrosas. Se você tem muitas alergias, procure a avaliação de um imunologista e alergologista. Se o medo for muito grande e a vontade de fazer uma tatuagem também, proponha ao tatuador um teste com pequenas porções das diversas tintas em locais escondidos, como couro cabeludo, face interna da coxa, nádegas, etc. Fique ciente que nada é 100% garantido; intercorrências e problemas podem acontecer com qualquer um. Ao resolver fazer uma tatuagem, você está aceitando o risco.

Mais uma coisa preocupante são os famosos queloides. Eles são uma cicatrização exagerada, uma resposta desproporcional a um dano sofrido. Um queloide é aquela cicatriz alta, com relevo, às vezes até de aparência verrucosa. É mais comum em pessoas negras, mas pode perfeitamente acontecer por pessoas de pele clara. Se você tem tendências a desenvolver tais cicatrizes, peça uma opinião de uma dermatologista que tenha experiência no assunto. Se ela não contraindicar a tatuagem, vai poder ajudar de alguma forma caso seja necessário, pois existem medicamentos e procedimentos que diminuem o risco e tratam tais intercorrências com alguma eficiência.

 

Aqui jaz uma tatuagem

Muito já se especulou a respeito da relação do câncer de pele com tatuagens, mas nada foi comprovado até hoje, o que é um ótimo sinal. O problema das tatuagens em relação ao câncer reside no fato de que é mais difícil para o tatuado perceber manchas na pele, fazendo com que o diagnóstico de uma provável neoplasia seja feito mais tardiamente. Também devem ser evitadas tatuagens sobre pintas ou manchas suspeitas, pois isso irá atrapalhar o monitoramento de uma eventual mudança de comportamento das mesmas.
O que se recomenda é inspeção periódica cuidadosa da pele, e a procura por um dermatologista diante do surgimento de alguma alteração na pele. Caso a pessoa seja muito branca, tenha muitas pintas ou sardas, tenha história de câncer de pele na família ou caso se exponha muito ao sol, procurar um dermatologista anualmente é uma boa medida preventiva.

A dor da tatuagem


Esse é um temor de grande parte das pessoas. A dor é uma sensação mensurável, mas bastante subjetiva, varia muito de pessoa para pessoa. Se conversarem com os que já se submeteram ao processo, a maioria dirá que “dói muito”, mas que é “suportável”, e até que “acostuma.”.

Alguns locais são bem menos sensíveis que outros. Tatuagens nas costas, parte externa dos braços e panturrilha irão doer muito menos que na barriga, face interna das coxas e costelas, por exemplo. Tatuadores tem muita experiência nisso e poderão te dar uma boa noção do que você vai sofrer. Na dúvida se vai suportar ou não, arque com os custos do material e peça para que o tatuador te passe a máquina sem tinta, para que tenha ideia se aguenta ou não o tranco.
Alguns profissionais fazem seu trabalho todo sem qualquer anestésico, mas a maioria utiliza um anestésico tópico na forma de spray ou gel. Fique sabendo que o produto não surte efeito logo no início; primeiro a pele deve estar machucada o suficiente pelas agulhadas para que ele possa penetrar e agir. Assim que penetra na pele, ele provoca o alívio das agulhadas, mas causa uma ardência e sensação de calor que incomoda tanto quanto. Apenas após alguns minutos da aplicação é que podemos relaxar e curtir uma real sensação de paz.

Muitos perguntam por que não fazem uma anestesia local, infiltrando anestésico na pele por meio de agulhas, como ocorre em pequenas cirurgias. A resposta é simples; apenas médicos podem realizar tal procedimento. Alguns tatuadores não aceitam a anestesia realizada por médicos, seja para não se sujeitarem a possíveis riscos e complicações inerentes à anestesia, ou por alegarem que o anestésico atrapalha a fixação do pigmento, etc. Eu já soube de vários casos de pessoas que levaram médicos ao estúdio para infiltração de anestésicos e, particularmente, não consigo imaginar um motivo que atrapalhe a fixação da tinta.

A título de curiosidade, a dor da tatuagem também depende da máquina utilizada, do tipo de agulha escolhida pelo tatuador, das cores predominantes do desenho, que exigirão o ajuste de uma maior ou menor frequência e, por fim, a dor pode variar até mesmo de acordo com o tatuador, que pode ter a mão mais ou menos “pesada.”.

Fiz a minha nas costas e, por experiência própria, posso dizer; dói demais! Uma dor que às vezes tinha que parar o processo todo, e que às vezes me fazia SUAR os olhos. Não rolou gritaria nem piti, mas alguns gemidos e grunhidos foram inevitáveis… Nem por isso deixei de conversar e trocar muitas ideias com a tatuadora, nem de navegar na internet do celular, nem de atender uma ou outra chamada. É uma dor considerável, suportável, e que vale a pena aguentar pelo resultado final. (Mas na próxima não hesitarei em levar um médico para me anestesiar!)

Os cuidados após a tatuagem

Após fazer a tatuagem, sua pele estará bastante dolorida e sensível. Deve limpá-la suavemente com as mãos, usando água corrente e sabão neutro, que deve ser removido completa e cuidadosamente. Após a limpeza, a secagem deve ser com uma toalha limpa, apenas encostando na superfície, nada de esfregar! Depois deixe secar por completo, ao ar livre, por uns 10 a 15 minutos.

Após a secagem, alguns tatuadores não recomendam produto algum, outros recomendam apenas hidratantes, enquanto outros prescrevem pomadas diversas. A verdade é que a cicatrização vai acontecer no tempo que seu corpo exigir, independentemente de qualquer coisa que se passe. A pele não vai acelerar sua reconstituição celular porque você está passando isso ou aquilo.

Os produtos servem principalmente para manter o local hidratado, evitando as fissuras, rachaduras e rompimentos das crostas que se formarão. Tais crostas, ficando amolecidas, causarão menos coceira e diminuirão a aderência das mesmas a tecidos e à própria pele, diminuindo assim o risco de avulsão acidental, sangramentos e comprometimento da pele recém-tatuada. Antes da aplicação, faça o teste do produto em outra parte do corpo e espere algumas horas. Vai que você é azarado e tem alguma reação ou alergia!

Após a aplicação da pomada, a maioria dos tatuadores recomenda que a tatuagem seja coberta com aqueles finos plásticos de embalar alimentos, o que também é motivo de discussão: O plástico protege as crostas e a pele subjacente, e também conserva o produto que você aplicou, mantendo a pele sempre hidratada. O problema é que se não for realizada uma boa higiene local e se demorar para ser substituído, ele servirá para acumular sangue, restos celulares e linfa, que são um ótimo meio de cultura para bactérias, facilitando infecções.

A MINHA OPINIÃO COMO MÉDICO: recomendo que após a limpeza seja aplicada a Fibrase ou Kollagenase, que são pomadas que contém antibiótico, o Cloranfenicol, que vai diminuir as chances de infecção local. Também recomendo o uso do plástico para a proteção da tatuagem por um período de 7 a 10 dias, devendo ser trocado 3 a 4 vezes por dia. Isso vai te trazer mais conforto e proteger suas roupas da sujeira de pomada, sangue, linfa e etc.

Se a tatuagem for feita em várias etapas o procedimento todo deverá ser repetido em cada uma delas. Acho que o tempo mínimo para a marcação das sessões seja a cada 15 dias.

Você não poderá nem sonhar em expor sua tatuagem ao sol por um período inferior a seis meses. Neste período, o local deverá sempre estar bem protegido, seja com camiseta, luvas, protetores para queimaduras ou grossa camada de protetor. Após esse período, poderá levar uma vida normal, mas sempre abusando do filtro solar, tanto para prevenir o câncer de pele, quanto para aumentar a durabilidade da sua tatuagem.

Retoques

Alguns tatuadores recomendam sempre um retoque precoce da tatuagem para corrigir algumas imperfeições resultantes do processo de cicatrização. Os demais retoques são necessários somente após longos espaços de tempo, devido ao fato das cores e contornos perderem sua intensidade, principalmente devido á exposição solar e processo natural de envelhecimento. A quantidade e tempo desses retoques tardios irão depender (1) da qualidade da tatuagem feita, que depende tanto do material utilizado, quanto da técnica do tatuador, e (2) dos cuidados que você teve com a mesma. Não existe uma regra absoluta a ser seguida no que se refere ao tempo dos retoques.

Remoção de tatuagens

 

Uma tatuagem removida

Caso o tatuado tenha a infelicidade de se arrepender, existe a possibilidade de remoção da mesma, utilizando aparelhos a laser. O processo é caro, doloroso, e geralmente são necessárias várias sessões. Os pigmentos mais escuros são mais facilmente removidos, enquanto as cores mais claras requerem mais sessões. O resultado é satisfatório, mas a pele resultante do processo dificilmente fica idêntica a uma pele nunca tatuada. Podem conter restos de pigmentos, algumas manchas claras, ou a própria tonalidade da pele ficar mais clara ou escura.

 

Conclusão

Essa foi a visão e experiência uma pessoa comum, que por acaso é médico e metido a desenhar. Não quis entrar em detalhes técnicos porque não entendo absolutamente nada disso… Se você está a fim de saber mais sobre o assunto ou se deseja fazer uma tatuagem, o profissional mais adequado para ser consultado definitivamente é um tatuador.

Entendam que isso não é hobby e nem passa tempo; é uma profissão como qualquer outra. Além de requerer talento, o profissional tem que ter muito amor e peito pra encarar o ofício, porque não é fácil lidar com preconceito, críticas e a desvalorização que o brasileiro tem com a arte. Encarem a tatuagem como tal. É uma arte personalizada, única, permanente, feita a base de muito treinamento e aperfeiçoamento profissional.

Espero ter ajudado de alguma forma, nem que seja fazendo vocês pensarem sobre o assunto. Juízo e respeito na hora de ir atrás da sua!

Morreu Sabendo: Tatuagens

Categoria: Morreu Sabendo
24

24 comentários

  • Penso muito em fazer uma tatuagem, tenho 19 anos, e esse é meu maior receio, em fazer uma tatuagem que tenho vontade e amanha ver que isso foi apenas uma fase da minha vida e hoje não tem mais nenhum significado, vou pensar um pouco mais antes de fazer, como o Sicko falou, aguardar minha maioridade dos 25 que com certeza vou saber oque será melhor !

    • RicardoZambonDelpupo  – Você quis dizer: Solon Maia. (By Google)

  • gostei do post, e concordo plenamente com seu pensamento, eu fiz algumas tatuagens, mas nada seguindo qualquer tipo de moda ou algo sem sentido, fiz uma asa nas costas toda, que é algo que queria fazer desde os 13 anos, hoje com 23 fiz…

    http://sphotos-b.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-prn1/941364_253897594753362_840629110_n.jpg

    Abcs.

  • Mto bom o post!! Adorei!
    Faz tempo que quero fazer tatuagem… Eu procurava um desenho que representasse meu avo e o que ele mais valorizava. Encontrei o desenho tem 8 anos- hj tenho 25- e agora só me falta coragem… =)
    Não sabia que era possível levar um anestesista! Vc tem ideia de quanto deve custar??

  • Eu pensei muito antes de fazer minhas tatuagens, a 1ª fiz após os 30 anos, estou contente pois escolhi um tema que gosto, concordo que se deve pensar muito antes de tomar a decisão já que e algo para toda a vida, se tem duvida não faça, apesar de não existir mais aquela mistificação de quem e tatuado ser marginal ou algo parecido, penso que tatuagem e muito particular, e ainda assusta no geral.

  • ótimo post!!
    com certeza mto informativo e com opiniões acertadas…
    vlw, Solon!! =D

  • Parabéns …. pelo post , teve várias informações de riscos que eu não sabia !
    Minhas tatuagens eu fiz por achar esteticamente bonito e contemplar meus gostos  ,  tenho 3  e não me arrependo , e irei fazer mais !! Cada uma delas não tem um significado especifico , mas   me  lembra uma época de minha vida. Para mim tatuagem já é um vicio que eu gosto, então dificilmente irei me arrepender  ou ter vergonha de mostrar quando eu ficar velho !!
    Sobre quem vai fazer sua primeira , pense muito bem… pois eu demorei muito para ter coragem de fazer …pela dor e arrependimento depois…

  • Perfeito Tópico, Sou enteado de um dos melhores tatuadores do país, e concordo com 100% do que você falou, desde os argumentos técnicos até os motivos para não se fazer uma tattoo.. Cresci neste mundo de tatuagem, conheço bastante sobre o assunto, e, posso afirmar que você realmente conhece muito do assunto. Trabalhei por bastante tempo nesta área e posso afirmar que pelo menos 30% das pessoas que procuravam nosso studio, era para tampar uma tatuagem mau feita, ou nomes de ex-namoradas, mulheres e etc… Parabéns pelo tópico

  • Há uns dois anos venho pensando em fazer uma tatuagem. Nesse meio tempo, pude repensar algumas vezes o que iria tatuar e, sendo assim, o sentido para aquelas tatuagens passaram a ser mais fortes do que a arte em si. Esse texto até que motivou um pouco mais sobre a decisão, mas ainda vou demorar para ir a algum estúdio. Dinheiro é foda…

  • Tenho 19 anos e tenho 2 tatuagens ( 1 fiz com 18 e outra com 17 ), acho que, para queles que estão pensando em fazer ou tem vontade de fazer, o importante é: 1. Escolha um bom desenho (eu por exemplo tatuei algo a ver comigo), 2. Uma coisa que não foi citada no post, pense bem no seu futuro, naquilo que você quer trabalhar, tatuagens vem sendo aceitas cada vez mais, porem, ainda existe um preconceito forte com elas, então, se vc for trabalhar em um escritório, não tatue o seu pescoço ou mão(estes são apenas 2 exemplos), tatue um lugar mais intimo, a tatuagem é para você. 3. Como citado anteriormente, a tatuagem é para vc e para mais ninguém, não tatue pensando se os outros vão achar “legal” ou “maneiro”, ou vc provavelmente irá se arrepender.

  • Esse amigo com nome grego, não seria SOLON?

  • eu tenho queloid ‘-‘

  • Muito bom o texto e realmente doí e o risco de se arrepender é grande,aos vinte fiz na perna  uma tatuagem de um palhaço posteriormente aos trinta a mesma me atrapalhou em concurso público, tive que fazer outra por cima,procurar o significado é importante,na minha opinião o pior é cicatrização dá muito trabalho,contudo eu admiro muito e gosto de tatuagens não faço muitas por não suportar a dor e a recuperação mas é uma arte!

  • FODA. Eu vou fazer minha primeira tatuagem daqui uma semana, nunca um post do LOL veio tanto “a calhar” (assim que escreve?).
    Muito bom post Sicko, valeu.

  • Estou no processo atual de terminar minha tatuagem. Esperei até sair de casa, ter meu dinheiro, porque meus pais sempre forma um pouco resistentes. Fiz um tigre, de um desenho que peguei na internet, mas ainda estou colorindo. Próxima sessão marcada pra segunda-feira. Corri atrás da simbologia e de um desenho que em agradasse. Ainda pretendo fazer mais duas, falta decidir com certeza local e desenho. Mas a segunda devo fazer ainda esse ano. Depois mandarei as fotos pro Sicko colocar no mural da tatuagem. Achei engraçado o texto bem na época que faço a minha. Hehehehe.

  • Ótimo texto. Tenho vontade de fazer uma tatuagem e sempre pensei sobre esse aspecto do modismo, da ideologia, porém o texto cita outros pontos que eu não havia pensado.
    Sem querer ser chato demais, apenas uma dia ao autor: “Também devem ser evitadas tatuagens sobre pintas ou manchas suspeitas, pois isso irá atrapalhar o monitoramento de uma eventual mudança de comportamento das mesmas.” <- a palavra “mesmo(a)” não deve ser utilizada como pronome. Ta certo que muita gente boa faz isso, mas é errado. Abraço

  • Texto muito bom! Parabéns!

  • Perfeito. Entendi bastante coisa Obrigado.

  • Perguntaram pra Gisele Bunchen por quê ela não tinha tatuagem, ela respondeu: Já viu Ferrari com adesivo?

  • Adorei o artigo!!

Deixe uma resposta